A CIRURGIA DA MIOPIA É SEGURA?

“A cirurgia de miopia já é realizada há muitos anos e hoje sabemos muito sobre quem devemos operar ou não. Como regra a cirurgia é muito segura e confiável. Existem técnicas diferentes para a cirurgia, sendo que as mais modernas utilizam laser para corrigir o grau do paciente e são chamadas de LASIK ou PRK”, explica o oftalmologista Prof. Dr. Rubens Belfort, Professor Titular de Oftalmologia da UNIFESP e autor do capítulo de oftalmologia do livro Medicina Mitos e Verdades (Carla Leonel).

No passado era utilizada uma técnica chamada ceratotomia radial, que utilizava cortes na córnea para corrigir a miopia. Os resultados eram bons a curto prazo, mas alguns pacientes tinham muita variação do grau depois de anos depois da cirurgia, tornando-se hipermétropes. Por isso está técnica hoje é pouco utilizada.

Já a cirurgia a laser, embora mais recente, tem seguimento mais longo e os resultados parecem melhores. O laser é capaz de alterar a espessura e formato da córnea, como se realizasse uma modelagem, corrigindo a miopia. Apresenta algumas vantagens em relação à ceratotomia radial, entre elas o risco muito menor de infecção, a impossibilidade de perfuração da córnea e também uma estabilidade maior dos resultados. Isso se refere especificamente ao excimer laser, com dois métodos de aplicações: o PRK e o LASIK. Em cada uma dessas duas cirurgias são utilizadas tecnologias completamente diferentes, com reações secundárias, índices de recuperação e tipos de complicações diferentes.

Pelo método PRK, após o cirurgião retirar o epitélio corneano, o laser é aplicado sobre a superfície da córnea alterando a sua curvatura e, desta maneira, corrigindo o grau de refração. Atualmente, com a tecnologia muito mais avançada é possível corrigir a miopia com muito mais precisão. A vantagem desse procedimento é que ele tem menos complicações. A desvantagem é que trata-se de um procedimento, às vezes, muito doloroso — mesmo com analgésico — e a recuperação visual pode demorar até várias semanas.

Já pela metodologia do LASIK, com um pequeno aparelho corta-se a parte superficial da córnea em uma fatia (como levantar a tampinha de uma laranja) e aplica-se o laser sobre esta parte da córnea que é mais profunda. Após a aplicação do laser, a fatia corneana é reposicionada (veja ilustração). O tempo real da cirurgia é de aproximadamente 10 a 15 minutos, sendo que o laser propriamente dito necessita de apenas alguns segundos para corrigir sua visão. A vantagem é que os resultados são rápidos e o procedimento é, normalmente, indolor. Porém, existe um número pouco maior de possíveis complicações.

Em ambos os procedimentos é importante que o paciente converse longamente com seu médico, tire todas as suas dúvidas e conclua qual forma cirúrgica lhe oferecerá mais benefícios e menos riscos. Mais importante que a cirurgia é verificar se o olho do paciente é um bom candidato para o procedimento. Muitas pessoas apresentam córnea muito fina ou astigmatismo, o que torna a cirurgia arriscada, por isso são aconselhados a não operar e aguardar até que uma técnica mais avançada esteja disponível.

Conteúdo do livro Medicina Mitos e Verdades (Carla Leonel). Capítulo de OFTALMOLOGIA. Perguntas e Respostas em 22 especialidades médicas. Proibida reprodução total ou parcial sem citar a fonte com o link.

Clique no link azul e leia matéria relacionada: A miopia piora com a idade? 

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.