CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA ALOPECIA AREATA

O que é alopecia areata
Alopecia areata é uma doença de etiologia desconhecida caracterizada pela perda de cabelos (maioria), barba ou pelos do corpo. A extensão da queda é variável, podendo ser um ou vários pontos. No local formam-se placas bem delimitadas - veja a foto acima, geralmente sem outros sinais ou sintomas. A área de pelada apresenta a pele lisa e brilhante. A maior incidência é encontrada nas pessoas abaixo dos 20 anos, e com história pessoal ou familiar de outras doenças autoimunes, como tireoidite, vitiligo,  anemia perniciosa ou diabetes tipo I.

Causas
Não se sabe ao certo as causas da alopecia areata, apenas é sabido que ocorre uma inflamação nos folículos dos fios em pacientes que possuem uma tendência genética. Acredita-se que o gatilho dessa reação seja de origem emocional, traumas físicos ou por quadros infecciosos.

Tipos de alopecia areata
• Pelada: placa única ou múltiplas, de tamanho variado, arredondada, no couro cabeludo ou barba.
• Perda total do cabelo: alopecia areata total.
• Perda total de cabelos e pelos do corpo: alopecia areata universal.

Evolução da doença
Existem vários tipos de evolução da doença: ela pode ter remissão espontânea, podem surgir vários focos e até mesmo evoluir com perda total dos cabelos e pelos do corpo. Em qualquer um dos tipos de alopecia, com o tratamento adequado, o cabelo pode voltar a crescer, apesar de que existe a chance de cair novamente. Cada caso é um caso diferente. Não existe um padrão. Alopécia areata é uma doença imprevisível.

Diagnóstico
O diagnóstico é feito clinicamente pelo médico dermatologista e, algumas vezes, pode ser necessária a realização de uma biópsia no local.

Tratamento da alopecia
O tratamento consiste na tentativa de interromper o processo inflamatório autoimune, e deve ser individualizado.
• Pacientes com poucas placas: pode ser feito o uso de pomadas de corticosteroides ou imunomoduladoras. 
• Casos refratários e crônicos: podemos utilizar substâncias sensibilizadoras, como a antralina, nas áreas sem pelos.
• Casos graves e de rápida evolução: uso de corticóides orais, sendo que o risco de efeitos colaterais devem ser avaliados pelo médico.

Na maioria das vezes o paciente apresenta boa evolução, com um episódio da doença e repilação total dos pelos. Para casos mais graves, recomenda-se o acompanhamento multidisciplinar com psicólogos e psiquiatras, já que a doença se torna estigmatizante para os pacientes.

Solução
Pacientes portadores de alopecia areata podem fazer uso de lenços, chapéus, perucas ou técnicas de alongamento capilar para minimizar os traumas psicológicos e criar com esses artifícios um estilo moderno que resgate sua autoestima.

Palavras em azul são links que te direcionam ao assunto em questão. Clique para ler. Veja também matérias relacionadas:
Causas e tratamento da queda de cabelo
Calvície tem cura

 

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.