Protetor solar pra cá, protetor solar pra lá, talvez este seja o produto mais requisitado nos dias de sol. Inventado nos EUA em 1972, chegou ao Brasil apenas em 1982. Atualmente é rotina obrigatória nos cuidados com a saúde e beleza da pele. Porém, é fundamental usar da forma correta. A quantidade, frequência da aplicação, a absorção do protetor pela pele, tipo de atividade e forma de se expor ao sol, interferem na proteção.

AS PRINCIPAIS DÚVIDAS E O MODO DE USAR

O protetor solar garante proteção total contra radiação?

A sigla FPS que você vê nas embalagens significa Fator de Proteção Solar e é o que determina o grau de proteção. A recomendação dos dermatologistas é que todos utilizem, no mínimo, produtos com FPS 15, considerado de amplo espectro contra os raios UVA e UVB (bloqueia 93% da radiação). Acima disso a diferença é pequena. Um fotoprotetor FPS 60 alcança 98% de proteção. Apenas o bloqueador oferece proteção total.

Qual a diferença entre protetor, filtro e bloqueador solar?

Filtro ou protetor são sinônimos. Eles filtram parte da radiação solar e deve ser utilizado de acordo com o tipo e tonalidade da pele. Além do FPS, alguns protegem apenas contra a radiação UVB. Para a proteção conjunta dos raios UVA e UVB leia a embalagem do produto.

bloqueador funciona como um espelho. Ele reflete a radiação UVA e UVB impedindo, dessa forma, que atravessem a camada da pele. Por isso não ficam transparentes ao ser aplicado, restando uma camada branca (alguns possuem tonalidades) sempre aparente. Indicado para pessoas com pele muito clara e sensível, nas cicatrizes ou após peeling e tratamentos com dermocosméticos que reagem à luz do sol.

O que significa UV, UVA e UVB?

UV ou IUV significa a medida da intensidade da radiação solar sobre a pele (índice ultravioleta). Esta medida é calculada de acordo com a concentração de ozônio, características geográficas e estação do ano.  O UV atravessa a pele e atinge o sistema imunológico provocando doenças.

Radiação UVA: penetra profundamente na pele e está presente durante o dia inteiro. É mais intenso antes das 10h e após as 16h.  Embora aparentem menos inofensivos por não provocar a vermelhidão e proporcionarem um bronzeado mais bonito (estimulam a melanina), são esses os raios responsáveis pelo envelhecimento da pele, manchas e o câncer melanoma, o mais grave de todos os tipos de câncer de pele. Isso ocorre justamente por alcançarem a camada mais profunda da pele.

Radiação UVB: predomina no período entre 10h e 16h e é mais intensa no verão. Atinge superficialmente a pele e provoca além de vermelhidão, queimaduras. Apesar dos danos na pele serem mais evidentes e imediatos, em relação ao câncer, produzem as lesões pré-câncer e o câncer de pele não melanoma, tipo bem menos nocivos que o câncer melanoma provocado pela radiação UVA.

Posso aplicar o protetor no sol?

O ideal é passar ainda em casa, entre 15 a 30 minutos antes da exposição solar, para que o produto seja absorvido corretamente pela pele. No sol, além da dificuldade para aplicar em todas as partes do corpo, a eficiência do protetor pode ser prejudicada pela existência natural de suor ou umidade da pele.

Qual o tempo de proteção?

 Nenhum protetor oferece 100% de proteção. Quanto mais clara a pele, maior deve ser o FPS (fator de proteção solar). Quanto menor o FPS, maior a necessidade de reaplicar o produto.

 O FPS 15, por exemplo, tem um tempo 15 vezes maior de proteção caso você estivesse sem o protetor. Isso significa que se sua pele fica vermelha após 40 minutos sem qualquer proteção, com o protetor solar você estará protegida por 600 minutos (10 horas). Caso você fique vermelha em apenas 20 minutos, o PFS 15 iria te proteger por 5 horas (20 min X 15 = 300 minutos). Faça o teste para saber o PFS ideal para seu tipo de pele.

É importante reaplicar a cada 2 horas se houver muita transpiração ou exposição solar direta e prolongada. Para quem gosta de se bronzear, mude sempre de posição para não agredir tanto a pele.

Preste atenção na data de validade do seu protetor guardado em casa. Usar filtro solar vencido além de não proteger do sol, pode provocar reações alérgicas.

O FPS de acordo com seu tom de pele: você costuma bronzear ou sempre se queima?

Como regra geral, no verão, utilize no mínimo:

FPS 30: loiros e ruivos ou quem nunca se bronzeia e sempre se queima;

FPS 20 a 25: para quem sempre se queima e às vezes se bronzeia;

FPS 15: pele morena ou para quem só às vezes se queima, mas normalmente se bronzeia;

FPS 5 a 10: negros e mulatos ou quem sempre se bronzeia e raramente se queima.

Que quantidade devo aplicar no rosto e no corpo?

Todas as áreas descobertas devem ser protegidas pelo protetor solar.

Na praia, piscina ou em esportes ao ar livre é necessário aplicar no rosto uma boa quantidade do produto, equivalente a uma colher de chá rasa.

Para o corpo, a quantidade varia dependendo da estatura. Aconselha-se uma porção de aproximadamente 2 mg para cada centímetro de pele. Isso significa 30 gramas de protetor para uma pessoa de porte médio.

O importante é não deixar nenhuma área exposta sem proteção. Não esqueça das orelhas e para os carecas, a cabeça.

Depois de entrar na água do mar ou piscina é necessário reaplicar o filtro solar?

Sempre. Até mesmo os que são indicados para uso na água. Na verdade, esta versão oferece proteção maior durante o banho de mar ou piscina o que não significa que você não precisa reaplicar após sair da água.

Preciso passar protetor solar se eu ficar na sombra?

O filtro solar deve ser usado todos os dias, independente de dias nublados, pois a radiação UV atravessa as nuvens.  Cuidado redobrado na ausência de nuvens e, principalmente, na água, areia, grama e neve que refletem e intensificam a radiação, mesmo que você esteja na sombra. 

O suor interfere na proteção?

Existem protetores formulados para a prática esportiva justamente para evitar que o suor retire a proteção do produto. Este tipo é mais resistente ao suor e forma uma película que adere a pele evitando também, que o protetor escorra nos olhos.

Os protetores resistentes à água, da mesma forma, oferecem maior proteção para quem tem excesso de transpiração durante a exposição solar.

Minha pele é oleosa e o protetor me provoca cravos e espinhas. Como faço para me proteger?

No mercado existem opções para todos os tipos de pele e estilo de vida. Quem tem pele oleosa deve optar por um protetor com textura seca, em gel ou oil free (sem óleo).

Para pele seca, prefira a versão creme ou óleo.

Pele normal, loção ou qualquer uma das opções.

Alérgicos: algumas marcas oferecem fórmulas sem fragrância e hipoalergênicas.

Veja na embalagem o protetor mais indicado para seu tipo de pele e atividade. 

Cuidados adicionais

Ao ar livre, não esqueça o boné ou chapéu para maior proteção do rosto e pescoço, além do protetor labial. Para proteger os olhos, utilize óculos escuros.

Hidratantes pós-sol

Após o sol, use e abuse dos hidratantes para restabelecer a umidade da pele.  Existem hidratantes próprios PÓS-SOL que além de hidratar, ajuda a manter o bronzeado por mais tempo. Alguns deles têm propriedades específicas que aliviam a queimadura e acalmam a pele.

Dica: antes ou depois do sol, use sempre sabonetes com hidratantes na composição.

Clique no link azul e leia artigo completo: Como escolher o melhor hidratante para seu tipo de pele

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo sem citar a fonte com o link.

SUAS DÚVIDAS NO CONSULTÓRIO MÉDICO
Livro Medicina, Mitos e Verdades (Carla Leonel): capa dura, 800 páginas, perguntas e respostas em 22 especialidades médicas com os mais bem conceituados nomes da Medicina no Brasil. Best-Seller: mais de 300 mil cópias vendidas.
• PROMOÇÃO: Compre um e leve dois. Por apenas R$ 99,00 você recebe 2 livros iguais. Pagamento facilitado em até 10 X R$ 9,90 sem juros no cartão de crédito. O frete é por nossa conta. Válido apenas no Brasil e em um único endereço escolhido por você. Não perca esta oportunidade.
Clique neste link COMPRAR e saiba mais. A informação ajuda no diagnóstico precoce e pode salvar vidas.