FASES E CICLOS QUE GARANTEM O SONO SAUDÁVEL

O sono é dividido em duas fases. A fase não REM e o fase REM. A sigla REM quer dizer Rapid Eye Movement, traduzindo para o português seria Movimento Rápido do Olho. É na fase REM que os sonhos acontecem. Para facilitar o entendimento deste artigo, vamos simplificar e usar a palavra sonho quando for referida a fase REM. Podemos ter vários sonhos durante uma noite. Ao longo de uma noite de verdadeiro descanso, a fase dos sonhos se repete por volta de 4 a 6 vezes, com intervalos que varia entre uma e duas horas (fase não REM), promovendo o repouso adequado à atividade cerebral e muscular. Os primeiros 90 minutos de sono, compõe a fase Não REM (sem sonhos) que é dividida em quatro estágios:

O primeiro estágio desta fase é a do adormecimento, que ocupa de 5 a 8% do sono. Essa fase pode durar de um até dez minutos e funciona como uma espécie de zona intermediária entre estar acordado e dormindo. A tensão muscular diminui e o cérebro produz ondas irregulares e rápidas. A respiração começa a se tornar suave, mas se a pessoa for acordada nessa fase ela reagirá rapidamente negando que estava dormindo.

O estágio 2 costuma durar de 10 a 25 minutos. A temperatura corporal e os ritmos cardíacos diminuem, assim como as ondas cerebrais. Essa fase ocupa de 45% a 55% do sono. A pessoa cruza o limite entre o estar acordado e agora já está dormindo. Os olhos não respondem mais a estímulos externos como, por exemplo, de alguém levantando suavemente sua pálpebra.

O estágio 3 é de curta duração e serve apenas de transição para o estágio 4. Compreende de 3 a 8% do período de sono. Durante todos estes estágios, o corpo, progressivamente vai relaxando, assim como diminuindo a atividade cerebral, a frequência cardíaca e respiratória, além da pressão arterial. Para conseguir acordar a pessoa neste estágio, os estímulos já precisam ser mais fortes.

• O estágio 4 costuma durar de 20 a 40 minutos. É o sono mais profundo de todos os estágios citados e o de mais difícil interrupção. É nesta fase que a pessoa se recupera do cansaço diário. É nela também, que ocorre a liberação de hormônios ligados ao crescimento e a recuperação do equilíbrio de células e órgãos.

• Após este período ocorre um retorno aos estágios menos profundos. Isto é, uma passagem rápida pelo estágio 3, seguidos de 5 a 10 minutos no estágio 2, quando o corpo passa agora por um processo inverso, retornando aos poucos o nível da atividade cerebral, pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória do estágio 1. Nesta altura já é possível observar os possíveis movimentos corporais (Fase REM), que indicam o primeiro episódio de SONHO, que pode durar de 1 até 5 minutos.

Estes ciclos de estágios se repetem por mais 4 a 6 vezes durante a noite de sono. O tempo dos sonhos tende a tornar-se mais longo durante o decorrer da noite, enquanto que o sono caracterizado pelos estágios 3 e 4 tendem a encurtar na mesma medida, podendo, inclusive, desaparecer nos últimos ciclos, predominando o estágio 2 nesses casos. Normalmente, 20% do tempo que permanecemos dormindo, estamos sonhando. Nos estágios de sono mais leve é quando acontece os “pequenos despertares” onde se arruma as cobertas, muda-se de posição na cama, apesar da memória não registrar estes fatos ao acordarmos pela manhã.  Todas as fases e estágios que citamos neste artigo é a que ocorre nos adultos porque o sono é variável em função da idade. A duração total do sono e a quantidade de sono da fase 4 tendem a diminuir com o avanço da idade, o que justifica que as pessoas mais velhas, despertem com mais facilidade.

E por que nos lembramos de alguns sonhos e outros não? Os sonhos que conseguimos lembrar são apenas quando despertamos na fase REM (fase dos sonhos) ou na primeira fase subsequente. A memória só consegue registrar os sonhos ocorridos antes dos primeiros 10 minutos do despertar. 

Clique nos links abaixo e leia também:
O que provoca o ronco?
Apneia Obstrutiva do Sono - Sintomas, causas, consequências, diagnóstico e tratamento
Respirar pela boca traz prejuízos a sua saúde
O travesseiro pode agravar a rinite alérgica
Insônia: o perigo dos tranquilizantes

Fonte: Site Medicina Mitos e Verdades, Dr. Malcon Anderson Tafner, Scielo, Instituto do Sono, Instituto de Medicina & Sono, Dr. Shigueo Yonekura.

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.