Introdução

Neste início de milênio, experimentamos o universal acesso à informação e, por estarmos mais conscientes, tornamo-nos exigentes e participativos. Isso faz de certas publicações obras muito oportunas. Medicina — Mitos & Verdades certamente é uma delas.

A Medicina atual tem potencial diagnóstico e terapêutico inimaginável há poucas décadas. O desenvolvimento tecnológico desconhece barreiras, amplia nossos horizontes, desafia toda imaginação. Com relação à saúde, as perspectivas seriam das mais otimistas não fosse a limitação do acesso de crescente parcela da população aos benefícios desse progresso. Estender a um número maior de pessoas os recursos disponíveis é certamente o maior desafio da Medicina de hoje.

Em um passado que nos parece remoto, o médico foi senhor único de sua arte e isso bastava ao exercício da sua profissão. Hoje, o poder da Medicina pode ser tremendamente amplificado ou, eventualmente, limitado pela tecnologia e pela estrutura empresarial da medicina. 

Nem sempre estão ao alcance do médico os recursos que ele conhece e gostaria de utilizar. Assim, a qualidade da assistência à saúde passa a depender, e muito, da capacidade de discernimento do usuário. Portanto, a nós médicos não compete apenas aprender e exercitar a profissão com dedicação. A nós cumpre fazer transparente nossa atividade, trazer a público o que é boa prática, deixar claro o que é ultrapassado e o que é condenável. E, sobretudo, ajudar a desmitificar a medicina. 

Dar a conhecer nossas especialidades é o primeiro passo para nos tornarmos próximos. E essa proximidade é essencial, pois a cura é resultado de três fatores fundamentais e interdependentes: relação positiva entre paciente e seu médico, diagnóstico preciso e tratamento adequado. Sem diagnóstico correto, o tratamento dificilmente será bem sucedido. Sem confiança, faltarão a informação, elemento essencial para o diagnóstico, e a motivação, necessária para aderência ao tratamento.


Prof. Dr. José  Luiz Gomes do Amaral
Prof. Titular da Disciplina de Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva da Escola Paulista de Medicina  — UNIFESP; 
Ex-Presidente da Associação Médica Brasileira (AMB) por dois mandatos (2005-2008/2008-2011);
Presidente da Associação Médica Mundial — entidade que congrega 97 países, representando 9 milhões de médicos.