Prefaciando o prefácio

Cinco de janeiro de 2011. O Brasil perdia a primeira dama da comunicação do país. Lily de Carvalho Marinho, uma figura expressiva de liderança no universo feminino e viúva do fundador das Organizações Globo e Fundação Roberto Marinho.

Nos conhecemos na minha época de jornalismo, quando eu atuava na mídia. Foi amor à primeira vista. Uma mulher encantadora, com humildade e carinho no trato com todos que a cercavam. Mesmo com todo o poder e a fama que faziam parte de seu universo, jamais colocou-se no alto do pedestal. Dr. Roberto Marinho idem. Não me esqueço o dia que minha secretária me transferiu uma ligação dizendo ser o Dr. Roberto Marinho. Achei que fosse trote. Mas não era. Aquela voz gentil, suave e educada me telefonava para dizer que fazia questão de minha presença em sua festa de 90 anos. O jornalismo apesar de ser uma profissão que exige muita devoção e empenho, tal como a de um médico (a notícia também não tem hora, nem data pra acontecer), acaba por nos trazer essas deliciosas surpresas e privilégios de poder conhecer pessoas encantadoras.

Entre uma entrevista e outra, sempre boas conversas e tardes deliciosas! Foram alguns almoços na casa do Cosme Velho, Rio de Janeiro, onde o querido e inesquecível Edgard, seu braço direito, nos servia salada e as duas latas de caviar. Comíamos na própria lata! Até nisso ela era simples. E todas as vezes o cardápio era o mesmo. Era o prato predileto dela. A sobremesa eu gostava de levar. Ela amava bombas de chocolate. Eu comprava nas confeitarias de São Paulo para que ela provasse as paulistas também... rs! Às cinco da tarde, Dr. Roberto chegava em casa. Ele não resistia às bombinhas! Hora de eu partir e deixar o casal a sós.

Nesta nova edição, a primeira após o falecimento de Lily Marinho, mantenho o prefácio que tanto me orgulha e me traz as lembranças daqueles agradáveis encontros. Essa é minha homenagem a esta inesquecível mulher, pelo carinho, admiração que sempre tive por ela. É uma forma de eterno agradecimento e de expressar que ela continua viva no meu pensamento e imortal nessas páginas de Medicina — Mitos & Verdades, que desde 1998, tem a honra de tê-la como prefaciante. Deus abençoe este casal que foi um exemplo de vida, saúde e amor e, hoje, estão juntos novamente no céu.

Carla Leonel



Prefácio

O livro de Carla Leonel é um trabalho feito com a maior seriedade; logo, não poderia se propor a dar, aos inúmeros leitores, diagnósticos prontos e infalíveis. Antes de ser uma obra enganosa, com receitas de curas milagrosas, é uma coletânea de depoimentos dos mais conceituados médicos brasileiros, cada qual dentro de sua especialidade médica, com esclarecimentos básicos sobre os cuidados e os caminhos que as pessoas devem ter e seguir para a correta prevenção e o seguro tratamento dos pequenos e grandes malefícios que a vida moderna impõe aos habitantes de um país que, infelizmente, ainda está longe de resolver os problemas básicos de saúde.

É, portanto, obra de orientação, indispensável e séria, a que se pode recorrer com absoluta tranquilidade e total segurança.

Mais ainda. É livro que se lê com facilidade, já que todas as respostas às inúmeras questões estão redigidas com a maior clareza de estilo, em uma linguagem que, muito habitualmente, mas muito seguramente, substitui os complicados e indecifráveis termos médicos, por explicações traduzidas para uma linguagem accessível, de compreensão imediata.

Por isso, "Medicina — Mitos & Verdades", de Carla Leonel, deve estar na casa de todos os que, diante de qualquer sintoma, tenham o bom senso de preferir o conselho de especialistas, ao invés dos palpites de curiosos.

Lily de Carvalho Marinho