A PUBERDADE E O CRESCIMENTO

É comum observar crianças que se desenvolvem mais precocemente enquanto outras, mais tardiamente. Entretanto, este motivo ainda não está bem esclarecido. O endocrinologista Prof. Dr. Alfredo Halpern explica que em algumas meninas — nas quais existe um marco  da puberdade que é a menarca (a primeira menstruação), nota-se nitidamente um padrão familiar, coincidindo com a idade da menarca da mãe ou da avó materna. Sabe-se também que crianças obesas costumam entrar na puberdade mais cedo.

Em relação ao crescimento, como na puberdade existe uma aceleração do amadurecimento ósseo, provocado pelos hormônios produzidos pelas gônadas (ovários nas meninas e testículos nos meninos), crianças que entram na puberdade mais tardiamente tendem a ter estatura final mais elevada.

Já o processo de amadurecimento sexual ocorre basicamente por alterações na concentração dos hormônios produzidos pelas gônadas, predominantemente testosterona nos meninos e estradiol nas meninas. A idade normal para o início da puberdade é de 8 a 13 anos, nas meninas, e de 9 a 14 anos, nos meninos. O aparecimento de mudanças físicas e de comportamento característicos da puberdade, antes ou depois dessas idades, leva, respectivamente, à suspeita de puberdade precoce ou de puberdade retardada.

Em meninos, a primeira mudança que ocorre é o aumento do tamanho dos testículos. Depois de alguns meses, os caracteres sexuais secundários começam a ser gradualmente notados: pelos pubianos; crescimento dos órgãos genitais; voz mais grossa (por aumento do calibre da laringe); pelos no tronco, nas axilas e na face. Há um aumento da massa óssea e da força muscular, da contagem de glóbulos vermelhos no sangue e do turgor da pele (capacidade da pele de reacomodar-se, após ser tracionada ou "pinçada com os dedos"). Em relação ao comportamento, a testosterona estimula a libido e a agressividade.

Em meninas, aparecem pelos pubianos e axilares, e desenvolvem-se gradualmente as mamas. Há uma mudança na deposição de gordura corporal, com predomínio dos quadris e das coxas, além de surgirem secreções vaginais e uterinas.

Quanto ao estirão pubertário, ele corresponde ao crescimento acelerado que se observa na puberdade. Ele é mais nítido em meninos do que em meninas, e o ganho em centímetro depende de muitos fatores, incluindo sexo e tendência genética.  Após a primeira menstruação, as meninas ainda crescem alguns centímetros dependendo da tendência genética (em média 5 cm).


 

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.