Em primeiro lugar vamos entender o que é a pele. A pele é o maior órgão do corpo humano e representa 16% do nosso peso. Exerce funções essenciais, como controle do fluxo sanguíneo, regulação térmica e proteção contra ameaças externas. É composta de 19 milhões de células, 625 glândulas sudoríparas e 19 mil células nervosas. Na exposição solar, a pele exerce a primeira barreira física e imunológica contra as agressões que o organismo sofre com o sol. E o que é o bronzeamento? O bronzeamento nada mais é que uma defesa da pele contra à radiação. Com o “ataque” do sol, nosso corpo produz um estímulo para produção de melanina (pigmento de função fotoprotetora) na tentativa de filtrar os raios ultravioletas e proteger nossas células contra lesões. Por ser um pigmento escuro, a pele escurece, ou seja, bronzeia.

Pessoas de pele morena tem a pele mais protegida devido a maior quantidade de melanina acumulada. Por isso a pele raramente fica vermelha.  Os efeitos dos raios ultravioletas (U. V.), devem ser bem conhecidos para que possam ser bem administrados. Os mais importantes destes raios são o U.V.A e o U.V.B.  A diferença entre eles é que o A penetra profundamente na pele enquanto o B atinge apenas a camada mais superficial (veja a ilustração), e apesar de merecerem cuidados, também tem papel importante na saúde.

RADIAÇÃO U.V.A – A intensidade pouco varia ao longo do dia, porém é mais intensa antes das 10h e após às 16h – PENETRA PROFUNDAMENTE NA PELE
• Apesar de parecerem menos inofensivos por proporcionarem um bronzeado mais bonito (estimulam a melanina), são esses os raios responsáveis pelo envelhecimento da pele (altera as fibras elásticas e colágenas, provocando rugas, perda da elasticidade e manchas) e o câncer melanoma, justamente por atingirem a camada mais profunda da pele.
• Ele também induz produção de manchas na pele (cloasma /melasma): mulheres grávidas ou as que fazem uso de hormônios e anticoncepcionais são as mais atingidas.

RADIAÇÃO U.V.B -  Predomina das 10h às 16h e é mais intensa no verão: atinge a pele superficialmente e é a que causa queimadura e vermelhidão.
• A radiação U.V.B é que confere a cor vermelha e provoca queimaduras de sol: se intensifica, normalmente, algumas horas após a exposição solar. Por isso só vemos o “seu efeito” depois o banho ou à noite.
• São responsáveis pelas lesões pré-câncer e câncer de pele não melanoma

O uso de medicamentos, como antibióticos, antifúngicos, anti-histamínicos, analgésicos, anestésicos e até conservantes de produtos cosméticos pode aumentar a sensibilidade aos raios de sol, favorecendo reações alérgicas.

O QUE É SIGNIFICA  FPS?
O FPS é a sigla com as iniciais de Fator de Proteção Solar que indica o grau de proteção contra queimaduras oferecido pelo filtro solar. Quando alguém usa um filtro com FPS 15, por exemplo, significa que levará 15 vezes mais tempo para ficar vermelho do que se não tivesse aplicado o produto. Ou seja, está 15 vezes mais protegido do que se estivesse sem nada.

Mas atenção. Conforme explicamos acima, tanto os raios U.V.A quanto os U.V.B. fazem mal a pele, contrário de quem imagina que o sol antes da 10h e após às 16h (U.V.A), não faz mal apenas por não causar queimadura. Portanto, como o FPS refere-se apenas ao grau de proteção contra a radiação U.V.B e ainda não existe consenso para classificar a proteção contra a radiação U.V.A, o ideal é optar por produtos que informem, na embalagem, oferecer proteção contra radiação U.V.A e U.V.B. A eficácia varia conforme a quantidade aplicada e o tempo de exposição.

MITOS E VERDADES DO FATOR DE PROTEÇÃO SOLAR
•O Fator de Proteção Solar (FPS) 15 é considerado de amplo espectro contra os raios ultravioletas dos tipos U.V.A e U.V.B, e bloqueia 93% da radiação. Acima disso a diferença é pequena. Um fotoprotetor com FPS 30 bloqueia 96% da radiação e o FPS 60 alcança 98% de proteção.
•O produto deve ser aplicado ainda em casa, e reaplicado ao longo do dia a cada 2 horas, se houver muita transpiração ou exposição solar prolongada.
• Reaplicar o protetor solar após imersão prolongada na água da piscina ou do mar.
• É necessária aplicar uma boa quantidade do produto, equivalente a uma colher de chá rasa para o rosto e três colheres de sopa para o corpo, uniformemente, de modo a não deixar nenhuma área desprotegida.
•O filtro solar deve ser usado todos os dias, independente de dias frios ou nublado, pois a radiação U.V atravessa as nuvens.
• Cuidado dobrado na neve, areia, grama e água que refletem e intensificam a radiação solar, mesmo que a pessoa esteja na sombra.
• Os olhos também devem ser protegidos com o uso de óculos escuros. A cada ano, aproximadamente, 3 milhões de pessoas sofrem perda da visão devido aos danos relacionados à radiação U.V, tais como fotoconjuntivites e cataratas.

O SOL COMO ALIADO À SAÚDE - VITAMINA D
• A vitamina D pode ser produzida pelo organismo humano, mas para isso depende da interação da radiação U.V.B e U.V.A. Apenas 10% da quantidade necessária de vitamina D é conseguida através dos alimentos, tais como: bacalhau, salmão, leite e gema de ovo.

• A falta de vitamina D agrava o risco doenças como reumatismo, artrite, artrose e, principalmente, osteoporose. Outras doenças como câncer de mama, do colo de útero, de próstata, diabetes e doenças cardiovasculares também estão relacionadas a falta de vitamina D.

• O tempo necessário de exposição ao sol para produção de vitamina D é de 15 a 20 minutos, pelo menos três vezes na semana. A exposição de braços e pernas são suficientes para aumentar os níveis de vitamina D. Nas outras áreas usar roupas adequadas e proteção solar.

• É controverso o uso de protetor solar e o horário da exposição solar. Diferentes estudos mostram que o uso regular de protetor solar não impacta na produção de vitamina D. Outros dizem que fator de proteção acima de 8 já impede a produção do nutriente pela pele. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia defende a exposição ao sol sem protetor solar (no tempo, horários e áreas descritas).  Já a Sociedade Brasileira de Dermatologia defende que pessoas com pele muito clara, que têm maior risco de câncer de pele, sempre usem protetor solar e, apenas três vezes por semana, tomem sol, mas só nos braços. Oriente-se com seu médico.

• Pessoas com pele mais escura têm capacidade reduzida de sintetizar a vitamina D e por isso devem se expôr ao sol com mais frequência.  

Palavras em azul são links que te direcionam ao assunto grifado. Clique nelas para ler.

Estes assuntos também vão te interessar. Clique para ler:

Protetor solar: O FPS ideal para cada tipo de pele e suas dúvidas esclarecidas

Como escolher o melhor hidratante para seu tipo de pele  

Navegue pelos artigos nas categorias:

Beleza

Dermatologia

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo sem citar a fonte com o link.

SUAS DÚVIDAS NO CONSULTÓRIO MÉDICO
Livro Medicina, Mitos e Verdades (Carla Leonel): capa dura, 800 páginas, perguntas e respostas em 22 especialidades médicas com os mais bem conceituados nomes da Medicina no Brasil. Best-Seller: mais de 300 mil cópias vendidas.
• PROMOÇÃO: Compre um e leve dois. Por apenas R$ 99,00 você recebe 2 livros iguais. Pagamento facilitado em até 10 X R$ 9,90 sem juros no cartão de crédito. O frete é por nossa conta. Válido apenas no Brasil e em um único endereço escolhido por você. Não perca esta oportunidade.
Clique neste link COMPRAR e saiba mais. A informação ajuda no diagnóstico precoce e pode salvar vidas.