O QUE É ENFARTE PULMONAR?

Enfarte pulmonar é a necrose (morte) do tecido pulmonar decorrente da falta de circulação. Como é consequência da falta de irrigação, qualquer interrupção do fluxo normal do sangue pode determinar o aparecimento de uma área de enfarte.

Deve-se observar, porém, que pelo fato de o pulmão ter duas fontes de irrigação (artérias pulmonares e artérias brônquicas), a obstrução de um ramo da artéria pulmonar, em geral, não determina enfarte, pois a integridade (vitalidade) do tecido é mantida pelo sangue proveniente das artérias brônquicas. Esse fato determina uma área de isquemia (obstrução, entupimento), caracterizando o tromboembolismo pulmonar.

Para que haja a transformação da área de isquemia em área de enfarte, alguns fatores devem estar presentes, como a insuficiência cardíaca ou o choque com acentuada redução da pressão arterial. Os sintomas são os mesmos da embolia pulmonar ou seja, dor torácica, tosse com expectoração sanguinolenta e falta de ar.

O enfarte pulmonar tem uma evolução pior que da embolia pulmonar, não pelo enfarte em si, mas porque o seu aparecimento pressupõe a existência de uma condição clínica mais desfavorável, que propicia a transformação de uma simples isquemia (obstrução) em enfarte. Por ser uma área em que os alvéolos são preenchidos com sangue, há uma maior predisposição à infecção, fato este que retarda a cura. Apenas em poucos casos pode haver redução de volume dessa área, com certo grau de fibrose (retração, cicatriz) da região comprometida.

A característica diagnóstica do enfarte pulmonar agudo é a necrose isquêmica de substância pulmonar dentro de áreas de hemorragia afetando as paredes alveolares, os bronquíolos e os vasos. Em geral, o enfarte regride na sua totalidade, sendo o prognóstico dependente da gravidade dos fatores envolvidos, da extensão do dano pulmonar e do grau de comprometimento do coração.

O tratamento é feito com anticoagulantes, inicialmente por via sistêmica e, posteriormente, por via oral. Não se pode esquecer do tratamento dos possíveis fatores envolvidos, como, por exemplo, a trombose venosa profunda, a insuficiência cardíaca, a infecção e o choque.

As palavras em azul são links. Clique nelas para ler os artigos relacionados. 

O termo enfarte é mais antigo e privilegiamos no artigo. A grafia infarto pulmonar também é correta.

Conteúdo do livro Medicina Mitos e Verdades (Carla Leonel). Perguntas e Respostas em 22 especialidades médicas. Capítulo de pneumologia. Médico responsável Prof. Dr. Francisco Vargas, Titular da Disciplina de Pneumologia da USP. Proibida reprodução total ou parcial sem citar a fonte com o link ativo.

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo e/ou imagem sem citar a fonte com o link ativo. Direitos autorais protegidos pela lei.