Choque significa um estado de extrema gravidade colocando em risco a vida do paciente. Medidas urgentes precisam ser tomadas para evitar a falência circulatória. Em todos os tipos de choques ocorre a queda da pressão arterial e consequentemente um distúrbio na circulação de sangue, afetando os órgãos e tecidos do corpo. As principais causas de choque são diminuição dos fluídos do corpo, falha no bombeamento do coração ou problemas nos vasos sanguíneos.

Sintomas do Choque
Os sintomas gerais do choque são:
• Pulso rápido, fraco e irregular (pulso normal em adulto de 60 a 100 batimentos por minuto - bpm);
• Respiração rápida, curta e irregular (respiração normal em adulto de 12 a 20 incursões respiratórias por minuto - irm);
• Sudorese;
• Palidez;
• Cianose (pele arroxeada);
• Pele úmida;
• Extremidades frias;
• Náusea e vômito;
• Dificuldade para respirar;
• Ansiedade e confusão mental.

Apenas no choque séptico a pele tem característica quente e rosada. Os outros sintomas descritos acima se manifestam posteriormente.

Em uma pessoa com suspeita de trauma na coluna cervical, os sintomas diferem um pouco. A vítima irá apresentar pele seca, pulso lento e, em alguns casos, paralisia.

Pessoas sofrendo de choque anafilático apresentarão, no estágio inicial, pele avermelhada, partes do corpo inchadas, urticária ou outras erupções semelhantes na pele e também náusea. Indivíduos em estado mais severo de choque anafilático poderão apresentar obstrução das vias aéreas (edema de glote), o que se não for cuidada rapidamente, pode resultar em morte.

Estágios do choque
• Estágio não progressivo ou compensado: os mecanismos compensadores normais atuando conseguem promover recuperação completa, sem a ajuda de terapia externa.
• Estágio progressivo: nesse estágio, o choque piora contínua e progressivamente.
• Estágio irreversível: a evolução do choque é tão grave que não é possível, por nenhum meio conhecido, salvar a vida do paciente, ainda que este esteja vivo no momento.

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DOS 5 TIPOS DE CHOQUE

Choque Hipovolêmico
É provocado pela perda de grandes volumes de líquidos do corpo. Exemplos: hemorragias, desidratação por diarreia, vômitos intensos ou calor excessivo, perda de plasma causada por queimaduras. Nesta situação, há uma queda importante da pressão arterial causando uma falha no sistema circulatório incapaz de manter a pessoa viva. Clique no link azul e leia artigo completo sobre Choque Hipovolêmico

Choque Cardiogênico
Ocorre um débito cardíaco provocado pelo bombeamento de sangue do sistema circulatório. Situações que podem causar o choque cardiogênico:
Infarto
Arritmias cardíacas
Choques elétricos

Choque Séptico
Choque séptico é uma condição grave sendo consequência da septicemia, ou seja, uma infecção generalizada – clique no link azul e saiba mais sobre septicemia.

No choque séptico as toxinas liberadas pelas bactérias provocam uma inflamação descontrolada no organismo paralisando o fígado, os rins, os pulmões ficam cheios de água dificultando a respiração, o coração se torna fraco para bombear o sangue ao resto do corpo e caso não sejam tomadas medidas urgentes para reverter o quadro, o paciente entra em falência múltipla de órgãos e óbito. 

Os seis principais fenômenos que determinam a falência múltipla de órgãos, indispensáveis para a sobrevivência: neurológico, cardiovascular, renal, hepático, pulmonar e coagulação. No choque séptico, o sistema de coagulação sanguínea também pode ficar descontrolado.     

Choque Vascular ou Neurogênico
O corpo humano tem um intricado sistema de comunicação interna, que tem como parte principal, o sistema nervoso.  O cérebro está conectado a este sistema, e é quem nos diz quando respirar, quanto respirar, quando bater o coração, quanto sangue bombear e quão largos os vasos sanguíneos devem estar, para permitir que o sangue passe com uma determinada pressão.  Quando este sistema é interrompido, como acontece em lesões ou traumas espinhais (medula), o controle do sistema circulatório é perdido. Os vasos aumentam em diâmetro (vasodilatação), o que faz com que a pressão do sistema circulatório caia, resultando em choque vascular.

Choque Anafilático
Choque anafilático é a consequência mais grave de uma reação alérgica. Pode ser desencadeado por medicamentos, picadas de insetos, alimentos ou qualquer substância que cause alergia no indivíduo. Nesta situação, a histamina liberada pelo corpo com o objetivo de combater a alergia provoca uma reação em cadeia que estimula de forma exagerada o sistema imunológico causando vasodilatação e, consequentemente, colapso no sistema cardiorrespiratório. Leia matérias relacionadas:
Anestesia e choque anafilático
Por que uma pessoa é alérgica
Picadas de abelhas e reações alérgicas
Reações e primeiros socorros: picadas e mordidas de aranhas, escorpiões, anfíbios e cobras

COMO SOCORRER UM PACIENTE EM ESTADO DE CHOQUE

• Assuma sempre que a vítima vai entrar em choque.  Comece o tratamento pelo ABC da Vida (desobstrução das via aéreas com controle da região cervical, manutenção da respiração e controle de hemorragias). 

• Se o indivíduo estiver sangrando excessivamente, controle imediatamente a hemorragia.  Uma perda sangüínea de 20% já faz com que haja uma taquicardia, elevando o pulso a 120 bpm.

• No caso de choque anafilático, onde a probabilidade de obstrução das vias aéreas superiores é muito grande, esteja preparado para executar ventilação artificial (respiração boca-a-boca) até a chegada de auxílio médico.

• Se possível, coloque a vítima de costas para o chão, se isso não for comprometer a região cervical.  Elevar as pernas cerca de 25 centímetros, a fim de aumentar o retorno de sangue para o coração e cérebro.  Se a vítima apresentar ferimentos na cabeça, esta atitude não é aconselhável.

• Mantenha a vítima aquecida.  Remova qualquer roupa úmida e isole-a do chão (com isolente térmico ou saco de dormir).  O objetivo é manter a temperatura interna do corpo o mais próxima possível do normal.  Em casos severos de choque, o corpo perde sua capacidade de gerar calor, podendo levar a vítima à hipotermia.  Para que isto seja evitado, é preciso que uma ou duas pessoas, fiquem junto à vitima, para que o calor de seus corpos a aqueça.

• Caso a vítima esteja consciente, ministre fluidos (Atenção!  Nunca dê bebidas alcoólicas, chá ou café, por elas serem diuréticas, o que aumentará a perda de fluidos).  Dê água ou bebidas isotônicas.

• Pacientes em choque cardiogênico devem ser mantidos em repouso, para não sobrecarregar o sistema circulatório que já está debilitado.

• Ligue para o socorro médico urgente!

Fonte: Livro Medicina Mitos e Verdades (Carla Leonel), Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada. Proibida reprodução total ou parcial sem citar a fonte com o link.

Clique no link azul e leia artigos relacionados:
Como fazer a massagem cardíaca
Sinais vitais e alterações no pulso

Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial deste artigo sem citar a fonte com o link.

SUAS DÚVIDAS NO CONSULTÓRIO MÉDICO
Livro Medicina, Mitos e Verdades (Carla Leonel): capa dura, 800 páginas, perguntas e respostas em 22 especialidades médicas com os mais bem conceituados nomes da Medicina no Brasil. Best-Seller: mais de 300 mil cópias vendidas.
• PROMOÇÃO: Compre um e leve dois. Por apenas R$ 99,00 você recebe 2 livros iguais. Pagamento facilitado em até 10 X R$ 9,90 sem juros no cartão de crédito. O frete é por nossa conta. Válido apenas no Brasil e em um único endereço escolhido por você. Não perca esta oportunidade.
Clique neste link COMPRAR e saiba mais. A informação ajuda no diagnóstico precoce e pode salvar vidas.